Net Zero by 2050: o desafio global da energia limpa

A Agência Internacional de Energia (IEA, na sigla em inglês) publicou, em maio último, extenso relatório de 200 páginas, que deverá servir de guia para o enfrentamento mundial  das mudanças climáticas. 

A proposta pode ser, simplificadamente, definida como um conjunto de ações para o campo energético, que objetivam a geração de 90% da eletricidade global por meio de fontes renováveis. Segundo o relatório, só assim se tornaria possível alcançarmos um sistema de energia com emissões zero líquido em 2050.

Dentre as recomendações, duas se destacam pelo impacto econômico imediato e gigantesco que teriam em alguns países:

  1. A interrupção de qualquer financiamento para a exploração de recursos fósseis;
  2. O fim da comercialização de carros à combustão a partir de 2035

O G7, em 21 de maio, três dias após a publicação do relatório se posicionou pelo apoio ao gás natural, reconhecendo que este “ainda pode ser necessário durante a transição para a energia limpa por tempo limitado e trabalharemos para reduzir as emissões relacionadas a sistemas de energia totalmente descarbonizados da década de 2030”.  Austrália e Japão bem como a Organização dos Países Exportadores de Petróleo – OPEP e grandes empresas de petróleo e gás como a BP e a TNG discordaram, veementemente, das conclusões do Net Zero by 2050 e declararam que continuarão investindo em combustíveis fósseis. 

Ainda que o Brasil tenha, reconhecidamente, um enorme potencial para o desenvolvimento de matrizes de energia limpa como é o caso dos biocombustíveis e da energia eólica, com a dependência atual de petróleo e gás natural, seria bastante afetado com riscos econômicos ainda não calculados.  Consta das projeções da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis – ANP – investimentos de R$6,5 bilhões de reais só para 2021. 

  1. Os países da OPEP não são membros da União Europeia – EU – e, portanto não podem ser forçados a seguir as metas líquidas de zero emissões da EU.
  2. BP – British Petroleum, TNG – Texans for Natural Gas

Gloria Faria – Rio de Janeiro, 09 de junho de 2021